sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Terapia

“Sou tantas que mal consigo me distinguir. Sou estrategista, batalhadora, porém traída pela comoção. Num piscar de olhos fico terna, delicada. Acho que sou promíscua, doutor Lopes. São muitas mulheres numa só, e alguns homens também. Prepare-se para uma terapia em grupo”.

Uma leitura light para o final de semana. É assim que eu defino o livro Divã, da Martha Medeiros. Esqueci de acrescentar: além de light, ele é muito divertido. Não dá para esconder que tenho uma admiração incrível pelas poesias, crônicas e contos da Martha Medeiros. Para falar a verdade, não sei como definir a categoria em que essa história se encaixa.

Divã é uma narrativa em primeira pessoa de uma quarentona casada bem-resolvida que resolve (não se sabe por que razão) ir para a terapia. Através das conversas com o seu terapeuta, ela descobre que o seu casamento não é 100% o que ela queria que fosse e que, depois de todos esses anos, ela acabou se acomodando e achando que aquilo era felicidade.

O mais engraçado de Divã é que Martha consegue descrever uma personagem que tem um pouco de cada uma de nós, mulheres. São as mesmas dúvidas, as mesmas inquietações. A autora, mais uma vez, consegue utilizar-se do humor para apontar situações do dia-a-dia que as mulheres casadas (e as solteiras também) passam.
Links:

http://revistaquem.globo.com/Quem/0,6993,EQG1043799-2157,00.html
http://www.linguagemviva.com.br/martha.html

2 comentários:

Thais disse...

Oi Natália!! Adoro a Martha também!! Estou lendo Cartas do Caio Fernando Abreu, de Ítalo Moriconi. É muito legal, vale a pena ler! Abraço, Thais

Natália Flores disse...

Obrigada pela dica, thais.
vou anotar na minha lista infinita de livros pra ler. (falta é tempo hehe)
bjoo